Colônia Holandesa em Castro: conheça Castrolanda

Quer conhecer mais um lugar com cultura e arquitetura diferentes e de quebra bem lindo? É só passar por Castrolanda, mais uma das colônias holandesas que ficam no Paraná. Esta pertence à cidade de Castro. Aaaahhh, em Castro você já ouviu falar, né? E imaginava que tinha um lugarzinho bacana pra conhecer por

ali?

Para nós, foi uma surpresa muito boa conhecer Castrolanda e vamos compartilhar tudo com você. Vale a pena passar por lá se estiver viajando pela região. Ou ainda, fazer um roteiro específico, como foi o nosso caso.

Por isso, continue lendo o texto para saber tudo o que tem por lá e ainda ter acesso a nossa sugestão de roteiros para você aproveitar bem esse cantinho do Paraná.

O que fazer em Castrolanda?

Na colônia foi construído o Centro Cultural Castrolanda. É um local com estrutura completa para se sentir mais pertinho da Holanda. Tanto os espaços externos como internos são muito bonitos e bem cuidados. Deu pra perceber que o imigrantes holandeses daquela região são muito caprichosos. No Centro Cultural tem um moinho, museu, restaurante e lojinha de artesanato.

Moinho de Vento

O moinho foi construído em tamanho real com as mesmas medidas de um dos moinhos da Holanda. O Local também é conhecido como Memorial da Imigração Holandesa e tem como objetivo preservar a história dos colonos daquela região. Foi inaugurado em 2001 quando houve a comemoração de 50 anos da colônia de Castrolanda. Fiquei impressionada com a obra que é lindíssima!

No interior do moinho, tem objetos e fotos expostos que contam um pouco da história daqueles imigrantes. É um acervo pequeno, mas mesmo assim achei o passeio interessante. Afinal, quantas são as oportunidades de conhecer um moinho que fica bem pertinho da gente?

No último andar é possível chegar até o parapeito e ficar perto das pás que geram energia para o moinho funcionar. Ele funciona de verdade, mas não para produção em escala. Apenas para demonstração e em algumas ocasiões. Na primeira vez que visitamos não estava em funcionamento.

Retornamos novamente a Castrolanda em novembro de 2017 e tivemos o privilégio de observar o moinho em ação. É preciso ter uma pessoa para controlar e monitorar o moinho (o moleiro) mas, nem sempre ele está no local fazendo demonstrações.

A visitação no Moinho dura pouco tempo, principalmente se você estiver com criança. Mas, mesmo os pequenos curtem pois, tudo é novidade pra eles. Na primeira visita, meu filho não deu nenhum trabalho. E gostou de subir e descer as escadas de acesso, que na verdade são até perigosas, pois são bem inclinadas e apertadas. Mas, com supervisão de um adulto, tudo dá certo e fica divertido.

Museu_holandes_Paraná_castrolanda_Castro.JPG

Na segunda visita foi ainda mais divertido pois, estávamos com amigos e familiares. Assim, as crianças curtem ainda mais (e os adultos também 🙂 ).

Moinho em Castrolanda

Ao visitar o moinho é possível também ouvir músicas tocadas em um realejo que é um tipo órgão movido à manivela. É muito interessante. Algumas melodias tocadas eram conhecidas mas, todas as músicas que são reproduzidas foram trazidas da Holanda.

Museu do Centro Cultural Castrolanda

Como já disse antes, em novembro de 2017 retornamos a Castrolanda e pudemos visitar também o Museu que fica ao lado do moinho e foi construído recentemente.

Castrolanda

O local é muito bonito! Vale a pena passar um tempinho com mais calma no museu para conseguir ler e entender melhor a história da imigração holandesa naquela região. O acervo é bem maior do que o do moinho e conta até com uma ala onde a casa dos colonos é representada com móveis da época.

O Centro Cultural Castrolanda está aberto apenas de sexta à domingo das 13h00 às 18h00. Porém, os ingressos são vendidos apenas até às 17h00. Se quiser mais informações consulte o site.

 Para visitar o Centro Cultural Castrolanda (moinho e museu) o custo da entrada inteira é de R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia).

Dar uma voltinha no bairro

Além disso, você ainda pode dar uma voltinha pelo bairro onde fica a Colônia, que é uma graça.

castrolanda_paraná_holandesa.jpg

Achei a colônia holandesa de Castro ainda mais bonita que a de Carambeí. Parece ter um pouco mais de casas e são todas lindas. Se eu já tinha achado a cidade de Carambeí charmosa, Castrolanda achei mais ainda. O legal é que essas duas colônias são muito próximas, sendo apenas 30 km de distância uma da outra. Então, dá pra aproveitar e conhecer as duas em apenas uma viagem.

castrolanda_parana

Onde Comer em Castrolanda?

Estação Café de Molen: Na parte inferior do Moinho tem um restaurante estilo Pub holandês, onde é possível almoçar ou apenas fazer um lanchinho. Chegamos tarde para almoçar. Eles estavam praticamente encerrando o atendimento do almoço, mas nos permitiram comer algo se quiséssemos. Acabei pegando um pouco de macarrão para meu pequeno. Então, nem posso emitir uma opinião se a comida servida é boa ou não. Mas, sei que o sistema é de Self- Service por Kilo.torta-Holandesa_moinho_Holandes_parana_castrolanda

Nós comemos uma torta holandesa e um cappuccino de chocolate. A torta estava gostosa mas, o cappuccino nem tanto. Estando por ali e querendo comer algo diferente do habitual acho que vale a pena a experiência. Eu comeria novamente e procuraria outras opções no cardápio.

O restaurante funciona apenas durante o dia, com almoço e café da tarde. Sendo todos os dias das 11h30 às 17h30 e o Almoço das 11h30 às 14h00.

Onde dormir em Castrolanda?

Se quiser dormir na colônia, tem pelo menos duas opções de hospedagens:

Borgen Hotel: Este hotel é bem novo, com uma estrutura moderna, mas com um arzinho europeu. Ficamos muito confortáveis no quarto que era o mais simples, mas bem espaçoso. Tendo em vista, que normalmente ficamos em hotéis e/ou pousadas consideradas econômicas (pelos sites de busca de hotéis), e que os quartos são pequenos (mesmo que com espaço suficiente para uma boa noite de sono), este quarto era realmente espaçoso. Gostei da decoração do quarto, bem minimalista, clean. Ficamos no apartamento casal queen e tudo estava funcionando e em perfeito estado.

O banho foi ótimo, com uma ducha maravilhosa. Só achei o piso muito frio. Se por acaso, for se hospedar no inverno não esqueça de levar um chinelo, ou pantufas (nós esquecemos), porque mesmo com o ar-condicionado ligado não foi agradável colocar os pés no chão, mesmo de meias.

Se você quiser, dá pra entrar no site do hotel e visualizar fotos dos quartos. Achei que as fotos são bem fiéis ao que nos foi ofertado.Castrolanda_hotel_borgen_castro_parana

Hotel Borgen ao fundo e a gente fazendo pose inspirados no canal da Daniele Noce (conhece?).Para mim, o atendimento ficou um pouco a desejar. Estava tendo um evento no hotel, e quase todos os hóspedes participaram dele. Até aí tudo bem. O problema é que tinha apenas um funcionário na recepção e que teve que resolver todos os problemas e pedidos que eram solicitados. Isso acabou deixando o serviço meio fraco. Inclusive, o funcionário pediu desculpas, porém, o certo seria ter mais alguém para ajudá-lo.praça_hotel_borgen_parana_castrolanda

Vista da janela de uns dos quartos do hotel.O café da manhã foi bom. Tínhamos acabado de sair de um hotel com um café holandês, pensei que o Borgen, que fica também localizado em uma colônia holandesa, oferecesse algo parecido. Mas, não. Apesar disso, estava bom. Tinha o suficiente para começar bem o dia.

O que o hotel oferece?

Gostei muito das instalações do hotel que era bem decorado e aconchegante.

O hotel conta com uma piscina que é com água climatizada. Nós nem usamos, porque estava muito frio. Perguntei qual era a temperatura da água, e eles disseram que ficava em torno de 28 graus. Imagina? No frio que estava nem quis inventar de ir. Acabei nem falando pro pequeninho, que tinha piscina, se não já viu. Iria ser um chororô, já que ele não pode ver uma poça de água que já quer nadar. 

Tem um restaurante , porém é preciso consultar se estará funcionando. Nós apenas tomamos café da manhã, lá. Como estava tendo o evento na noite anterior, no jantar o restaurante estava fechado para os demais hóspedes. Eu liguei antes de reservar e perguntei se teria jantar, então já sabia que não haveria.castrolanda_praça_Borgen_hotel_parana_CASTRO

Se for visitar a colônia no inverno prepare-se para o friozinho gostoso.Esse é um ponto negativo, pois não havia mais nada lá por perto para jantar. Tivemos que ir até o centro de Castro. Nós não nos importamos porque queríamos dar umas voltas por lá. Mas, isso é um fator importante a se considerar, se você é do tipo que gosta de ficar no hotel à noite depois de passear durante o dia.

Além disso, o hotel fica praticamente em uma praça. Proporcionando aos hóspedes dos quartos com as janelas voltadas para praça, uma bela paisagem. No inverno fica lindo! Com as árvores e folhas secas, e dependendo do horário tudo isso meio esbranquiçado, por conta da neblina que toma conta do local. Amei acordar com essa visão! Sem contar, que é muito gostoso passar um tempo na praça. Nós brincamos de esconde-esconde pelas árvores e arbustos. E claro, tiramos várias fotos. Foi um momento muito gostoso em família.

castrolanda_praça_hotel_borgen_castrolanda

Oosterhuis Hotel e Pousada: Esta pousada parece ser bem típica holandesa. Mas, não tivemos a oportunidade de nos hospedar aqui. Fica pra próxima. Se alguém conhecer compartilha aí suas experiências.

Onde fica Castrolanda?

Castro fica a aproximadamente 280 km de Londrina, indo pela Br 369. Se estiver indo para Curitiba e quiser fazer um caminho diferente, essa é uma opção. É um trajeto com apenas um pedágio, em Jataizinho, que custa os “zóios da cara” (R$ 21,00). Depois do pedágio é preciso pegar a BR 090 até Piraí do Sul. Depois, pegar a Rodovia Parigot de Souza em direção à Castro. Aí, logo você chega a Castro.

A Castrolanda é um pouquinho longe do centro da cidade, em torno de 10 km. O acesso é pela Br 340. Tem placas na rodovia indicando a entrada. Foi bem fácil de encontrar. Não posso deixar de dizer que essa rodovia (Br 090), por não ter pedágio é bem isoladona e com menos recursos se necessário. Quando fomos pra lá, estávamos sem seguro no carro e a correia dentada estourou. Deu o que fazer para conseguirmos contato de um guincho. Então, se por algum motivo estiver sem seguro, pense em viajar pelas estradas pedagiadas (o que também não é certeza de ter socorro rápido). Fora isso a viagem foi tranquila.

Opções de roteiro nos Campos Gerais

A região onde Castrolanda fica tem outras opções de passeios que complementam o passeio. Por isso, vale a pena organizar um tour pela região. Então, para facilitar sua vida deixo aqui duas opções de roteiro que nós já fizemos e deu certo:

1ª opção: Quando nós fomos pra Castrolanda na primeira vez, fizemos o seguinte roteiro:

  • Saímos de Londrina na sexta-feira depois do almoço.
  • Dormimos em Carambeí no Hotel De Klomp.
  • Almoçamos no Koffiehuis Confeitaria e Restaurante (fica no Parque Histórico de Carambeí).
  • Fomos ao Parque Histórico de Carambeí.
  • Jantamos no Frederica’s Koffiehuis (fica em Carambeí).
  • Dormimos em Castrolanda no Hotel Borgen.
  • Passamos a manhã na praça do hotel em Castrolanda.
  • Tarde no Moinho em Castrolanda.
  • Saímos de Castrolanda por volta de 16h00 em direção a Londrina.

Nossa viagem ficou um pouco prejudicada, pois queríamos ter ido ao Parque Vila Velha em Ponta Grossa na manhã de Sábado. Mas, como disse antes, nosso carro deu problema na estrada e por isso tivemos que esperar consertar para prosseguir com nosso passeio. Bom, já viu que dá pra aproveitar bem o fim de semana, se programar e se organizar bem, né?

2ª opção: Em nossa segunda visita deu pra aproveitar um pouco mais. Porém tivemos 3 dias (02 à 04 de novembro).

Primeiro dia:

  • Saímos cedinho de Londrina.
  • Visitamos e o Parque Histórico de Carambeí (das 11h00 às 14:30).
  • Depois visitamos o Centro Cultural Castrolanda (moinho e museu)
  • Jantamos no Frederica’s Koffiehuis.

Segundo Dia:

Terceiro Dia

  • Visitamos a feirinha do produtor de Witmarsum.
  • Fomos ao Recanto do Papagaio.
  • Passeamos pela Colônia: igreja menonita, lojinhas de artesatos, lojinhas de produtos coloniais.
  • Almoçamos no Restaurante Bierwit em Witmarsum.
  • Retorno pra casa por volta de 15h00.

Espero que tenha gostado desse post. Se gostou do post, curte e compartilha com os amigos. E para não perder nenhuma novidade siga-nos nas redes sociais.

Bom passeio!

Keila Kubo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo