O lado argentino das Cataratas do Iguaçu é um passeio imperdível.

Sempre tive vontade de conhecer o lado argentino das Cataratas do Iguaçu, mas todas as vezes que viajei para Foz do Iguaçu não tinha tempo, nem dinheiro para realizar esse desejo. Ao planejarmos nossas férias de janeiro na cidade, finalmente finalmente foi possível visitar o Parque argentino também.

É certo que este blog é destinado a escrever sobre os encantos paranaenses, mas o Parque Nacional do Iguazú (Argentina) fica muito pertinho de Foz do Iguaçu e merece ser indicado para visita. Ficamos ainda mais encantados com a beleza das Cataratas e percebemos que cada ângulo de visão que se possa ter delas, é incrível!

Talvez você já tenha percebido que, existe certa competição entre brasileiros e argentinos, pra dizer qual dos Parques tem a melhor visão. Eu digo que nossos “hermanos” são privilegiados por terem mais trilhas com belos mirantes, mas que todos os ângulos (brasileiro e argentino) se completam. Portanto, se puder, conheça os dois parques.

Neste post compartilhamos com você nossas impressões sobre o Parque que abriga as Cataratas do Iguaçu da Argentina. Continue lendo para ficar por dentro de todas as nossas dicas, principalmente se você está interessado em fazer esse passeio com seus filhos.

Cataratas do Iguaçu
Essa visão maravilhosa pode ser contemplada no Circuito Inferior.

Assista também, aos vídeos que preparamos sobre esse passeio imperdível!! No segundo vídeo, mostramos o hotel que ficamos na Argentina, que adorei!! Confere aí:

COMO CHEGAR NAS CATARATAS DO IGUAÇU DA ARGENTINA 

Para visitar as Cataratas Argentinas é preciso atravessar a fronteira do nosso país. Essa é a parte mais chatinha do passeio, pois dependendo da época, você pode perder horas preciosas. Quando fomos pra lá, levamos uma hora e meia. Algumas pessoas disseram que esse tempo ainda foi rápido…aff! Um mal necessário 😛 .

É preciso ficar atento à documentação para atravessar a fronteira. Para saber sobre esse detalhe importante, clique aqui. Neste link, entre outras informações, tem a lista de todos os documentos necessários para adultos, crianças e inclusive seu automóvel se estiver pensando em ir de carro.

O Parque Nacional do Iguazu fica à 24 km da aduana Argentina. A estrada é boa, mas não tem muita sinalização. Porém, não tem erro, uma vez na estrada que dá acesso ao Parque é só seguir em frente que você chegará ao seu destino.

INGRESSO E ESTACIONAMENTO

Para visitar as Cataratas argentinas você terá que ingressar no Parque Nacional do Iguazú. O ingresso deve ser adquirido nas bilheterias do parque e o pagamento é feito apenas na moeda argentina, ou seja, peso argentino ($). Nós compramos pesos em uma casa de câmbio de Foz do Iguaçu antes de atravessarmos a fronteira. Vi que na recepção do parque tem casa de câmbio também, mas não sei dizer se era mais barato ou caro do que trocar no Brasil.

Achei que as filas da bilheteria estavam muito desorganizadas. Tanto é que quando cheguei, tinha uma fila enorme e nenhuma demarcação se realmente era ali ou não o seu início. Depois de algum tempo, apareceu uma funcionária do parque dizendo para as pessoas se dividirem em todos os caixas da bilheteria. Portanto, fique atento para não perder tempo por entrar em fila errada.

O parque conta com estacionamento que deve ser pago no ato da compra do ingresso. Não vi outra possibilidade de lugar para estacionar que não fosse o estacionamento oficial do parque.

INFRAESTRUTURA DO PARQUE 

O parque tem uma boa estrutura, com restaurantes, lanchonetes e banheiros espalhados em pontos estratégicos das trilhas. Mas, achei tudo bem caro para consumir por lá. Por isso compramos apenas três empanadas, que estavam deliciosas e custaram 110 pesos. Mas, uma dica, se não quiser gastar muito, é levar lanche e muita água (se tiver uma garrafa térmica é melhor).

O ingresso ao parque dá direito a fazer quatro trilhas que permitem a contemplação das Cataratas por ângulos diferentes: o Circuito Inferior (trajeto de 1400 metros de caminhada); o Circuito Superior (1750 metros de caminhada); a Garganta do Diabo (3000 metros de trenzinho e mais 2200 m de caminhada para ir e voltar à estação do trem); e a trilha do Macuco e Salto Arrechea (7000 metros de caminhada).

Todas as trilhas são pavimentadas e estavam em ótimas condições. Inclusive conta com acessibilidade. Vi diversas famílias com carrinhos de bebês e pessoas com necessidades especiais em cadeiras de roda.

INICIANDO O PASSEIO NO PARQUE NACIONAL DO IGUAZÚ 

Assim que entrar no parque pegue um mapinha no Centro de visitantes. O parque é muito grande e ter o mapa em mãos certamente te fará ganhar tempo. Além das quatro trilhas citadas anteriormente, existem outras atividades que podem ser feitas por lá, mas tem um custo adicional. Se quiser saber mais sobre isso, é só acessar o site do Parque, aqui.

Uma coisa bem diferente, se comparado ao Parque Brasileiro é que, no da Argentina você inicia seu passeio andando (no do Brasil, o início do passeio é de ônibus). Você vai caminhando do centro de visitantes até a primeira estação de trem, a Estação Central. Ali, os trenzinhos saem de 30 em 30 minutos e vão até a Estação Cataratas que leva até a trilha da Garganta do Diabo.

Se não quiser pegar o trem na primeira estação (Estação Central), é possível ir caminhando por uma trilha de 600 metros (SENDERO VERDE) até a Estação das Cataratas. Uma coisa muito legal da espera pelos trenzinhos é que o sistema é por senhas. Assim, você não precisa ficar em em nenhuma fila, podendo inclusive aproveitar para fazer um lanche ou apenas descansar um pouco.

Porém, fique esperto para não perder a chamada da sua senha, já que a chamada é feita no auto falante, apenas na língua espanhola e num ritmo bastante rápido.

Cataratas do Iguaçu

A TRILHA DO CIRCUITO INFERIOR

Nós fizemos a trilha Sendero Verde para chegar até a Estação Cataratas, chegando lá, ainda não sabia desse sistema de senhas. Fiquei desanimada achando que tinha que entrar na fila para pegar o trem que dá acesso à Garganta do Diabo. Desistimos de ir até lá primeiro e saímos perguntando qual a trilha que teria mais sombra, se era o Circuito Inferior ou Superior.

Decidimos então, fazer o Circuito Inferior (1400 metros), que foi sensacional! Tem mirantes com vistas incríveis. O ponto alto da trilha é se refrescar com os respingos de uma das quedas que ficam na parte final do trajeto. Amei!!

Cataratas do Iguaçu
Um dos mirantes do Circuito Inferior.

A trilha do Circuito inferior foi bem tranquila de fazer, apesar de ter escadas para descer e depois uma leve subida no final. Mas, a maioria do tempo você caminha na sombra. O que é ótimo em dias quentes, como foi no dia que estivemos lá. Mesmo assim, suamos horrores… 😛

Cataratas do Iguaçu
Um dos momentos mais aguardados: se refrescar nas Cataratas.

A TRILHA DA GARGANTA DO DIABO

Já a trilha da Garganta do Diabo é toda reta, sem nenhum tipo de desnível. Em contrapartida, é praticamente inteira em baixo de sol. A trilha na verdade é uma imensa passarela construída por cima do Rio Iguaçu (o que é demais), e tem alguns locais com sombra e inclusive bancos para descansar. Em dias quentes é de matar!!

Uma dica é ir preparado para encarar o sol. Vimos diversas pessoas com sobrinhas, bonés, chapéus e até de biquine na parte de cima. Sério, o povo já aproveitou pra pegar um bronzeado…hahá.

Nós sofremos bastante porque esquecemos o protetor solar no carro (claro que havíamos passado antes de esquecê-lo, mas não deu pra reaplicar). Eu e o Marcio ficamos tostados. O Léo não teve problemas porque carregamos ele no colo quase todo o trajeto, protegendo ao menos o rosto dele do sol.

Se algo do tipo acontecer com você, saiba que dá pra comprar protetor em algumas das lojinhas do Parque, mas é caro (nós só vimos isso depois que já havíamos feito o passeio). Então, cuidado pra não esquecer de levar.

Cataratas do Iguaçu
Olha a situação da minha camiseta: suada até a alma…ahhahá.

UM OU DOIS DIAS DE PASSEIO NO PARQUE ARGENTINO?

Nós conseguimos fazer apenas duas trilhas: o Circuito Inferior (1400 metros) e a Garganta do Diabo (2200 metros). Sem contar a trilha Sendero Verde (1200 metros ida e volta) que não tem nada para contemplar, apenas dá acesso à estação das Cataratas e à outras trilhas. Nosso passeio dentro do parque durou em torno de 6 horas. Não teríamos condições de fazer os outros trajetos também. Ficamos esgotados fisicamente!

Eu já havia lido a respeito do passeio no Parque e tinha noção de que tinha muita coisa pra fazer. E que para conseguir conhecer o parque todo, apenas um dia não seria suficiente, a não ser que estivéssemos sem criança e que fossemos maratonistas…hahá. Claro que essa não é a nossa realidade.

Se você quiser aproveitar bem o parque vale a pena reservar dois dias para ele. E assim fazer o passeio sem muita pressa, podendo curtir mais cada uma das trilhas e contemplações. Conhecemos pessoas que estavam lá e conseguiram fazer as três trilhas mais curtas (se somarmos as três trilhas, mais a Sendero Verde são 6500 metros de caminhada). Porém, eram mais jovens do que a gente e estavam sem crianças. Com criança tudo fica mais difícil!

Um dica muito bacana é que se você quiser visitar as Cataratas Argentinas em dois dias, dá para revalidar seu ingresso na bilheteria e comprar o segundo com 50% de desconto. Vale super a pena!

Cataratas do IguaçuValeu a pena todo esforço para contemplar essa visão. É indescritível!

VALEU A PENA?

Se valeu a pena encarar uma hora e meia na aduana Argentina, andar uns bons km com uma criança de cinco anos e tostar no sol de verão da região, para contemplar as Cataratas do Iguaçu bem de pertinho? Sim, valeu muito! 🙂 Com certeza queremos retornar ao Parque Argentino que é muitíssimo interessante e poder conferir os outros ângulos que ainda não exploramos.

Para mim o momento mais emocionante e imperdível foi a trilha da Garganta do Diabo. E olha que, essa foi a trilha mais cansativa, já que ela é praticamente toda embaixo de um sol escaldante. Mas, a visão é incrível! Quando cheguei ao parapeito do mirante, fiquei arrepiada dos pés à cabeça. Foi uma sensação indescritível!

É POSSÍVEL VISITAR O PARQUE COM CRIANÇA?

Na minha opinião é possível sim. Vi diversas famílias com crianças de várias idades.

É verdade que fazer esse passeio com criança é bem desgastante fisicamente (sem criança também é). Portanto, se você realmente estiver pensando em fazê-lo, saiba que terá que fazer tudo com mais calma para não se estressar. Já vá consciente de que não será possível fazer tantas trilhas quanto um visitante sem criança.

Além disso, é preciso dar um tempo pra criançada descansar, parar, fazer um lanche, tomar água, brincar. E aproveitar ao máximo para interagir com elas, inventar histórias a partir de tudo que elas estão vendo e descobrindo. Ou seja, fazer todo o possível pra elas se divertirem e ficarem confortáveis.

Os pais sabem até onde seus filhos aguentam. E é preciso respeitar os seus limites.

Uma dica é levar carrinho de bebê para crianças que ainda usam. Isso ajudará bastante! Porém, eu não teria pique para ir com um bebê 😛 .

No nosso caso, o Léo andou a maior parte do trajeto. Mas, carregamos ele no colo em alguns momentos, para aliviar um pouquinho o cansaço e também o tédio de andar nas trilhas que são todas pavimentadas e que não trazem nenhum tipo de desafio para ele…rsrs. O que ele gosta mesmo é de encarar desafios: trilhas com pedra, chão batido, inclinações…ahahá.

Mas, no fim o saldo foi positivo, pois ele ficou impressionado por ver tantas quedas d’água reunidas. E foi lindo ver o brilho no olhar dele por poder contemplar tamanha obra da natureza!

Agora, se você não está disposto a andar muito, suar e até mesmo carregar sua criança no colo em algum momento, o melhor mesmo é visitar apenas o lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu. Certamente será mais proveitoso e menos cansativo para a família toda.

DETALHES IMPORTANTES

  • Os ingressos só podem ser adquiridos na bilheteria do parque e o pagamento deve ser feito na moeda argentina.
  • Se você quiser comprar ingresso para o segundo dia com 50% de desconto, antes de ir embora dirija-se a bilheteria e revalide-o (pelo que entendi isso só é válido para visitas em dias seguidos).
  • É necessária a apresentação do documento de identidade para comprovação da nacionalidade e assim garantir o preço do ingresso que é diferenciado para países do Mercosul.
  • O pagamento dentro dos restaurantes e lanchonetes pode ser feito na moeda brasileira.
  • Se for visitar o Parque no verão, prepara-se para encarar um sol escaldante na trilha da Garganta do Diabo. Mas, não deixe de ir por conta disso, pois é imperdível! Bonés, chapéus, sombrinhas são acessórios que podem amenizar um pouco. E nunca é demais falar: lembre-se do filtro solar.
  • Use roupas confortáveis e calçados apropriados para caminhar.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

  • Endereço do Parque Nacional do Iguazu: Ruta 101 Km 142, 3370 Puerto Iguazú, Misiónes, Argentina.
  • Preço do Ingresso: 400 $
  • Preço do estacionamento: 100 $
  • Horário de funcionamento: o parque abre todos os dias, das 8h00 às 18h00

Você já conhece as Cataratas do Iguaçu da Argentina? Conta pra gente o que achou, comenta lá no final do texto.

Espero que tenha gostado deste post e que nossas dicas sejam úteis para você!

Siga o blog e nossas redes sociais para ficar por dentro de todas as dicas e novidades!

 

Keila Kubo

 

LEIA MAIS SOBRE FOZ DO IGUAÇU

O que fazer em Foz do Iguaçu

Onde ficar em Foz do Iguaçu: dica de camping.

Onde dormir em Foz do Iguaçu: hotel San Juan

 

 

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
%d blogueiros gostam disto: